Atividade ‘Novembro pela Floresta´ sensibiliza para importância das árvores autóctones

A Palombar – Associação de Conservação da Natureza e do Património Rural, em parceria com a AEPGA – Associação para o Estudo e Proteção do Gado Asinino, organizou, nos dias 17 e 18 de novembro, a atividade ‘Novembro pela Floresta’, que teve como objetivo promover a sensibilização da comunidade para a importância das árvores autóctones, nomeadamente para a recolha e preservação das suas sementes.

 Bolotas

Bolotas

Participaram na atividade 17 voluntários de sete nacionalidades diferentes (portuguesa, francesa, espanhola, norueguesa, alemã, polaca e salvadorenha). De destacar que o mais jovem participante tinha 5 anos e o mais velho 66 anos, o que é revelador do caráter intergeracional desta iniciativa, que promoveu a educação ambiental com foco na importância das árvores e arbustos típicos de Portugal. Durante a atividade, os voluntários tiveram a oportunidade de recolher sementes de espécies arbustivas e de árvores ribeirinhas.

 Grupo de participantes

Grupo de participantes

 Saída para recolha de sementes.

Saída para recolha de sementes.

Foi explicado aos participantes os cuidados a ter na recolha e acondicionamento de sementes, tendo sido também realizado um pequeno percurso pela emblemática aldeia de Uva, ladeada por pombais tradicionais.

 Explicação sobre árvores autóctones.

Explicação sobre árvores autóctones.

Durante o percurso, algumas árvores autóctones foram apresentadas ao grupo e foi ainda explicado o método mais adequado para a recolha de sementes. Os participantes também puderam fazer uma visita ao viveiro florestal da Palombar.

 Percurso na aldeia de Uva.

Percurso na aldeia de Uva.

Sementes de sobreiro (Quercus suber), azinheira (Quercus rotundifolia), carvalho-negral (Quercus pyrenaica), freixo (Fraxinus angustifolia), pilriteiro (Crataegus monogyna), abrunho (Prunus spinosa) e roseira brava (Rosa canina) foram recolhidas pelos voluntários no âmbito desta atividade.

Essas sementes serão plantadas no viveiro da Palombar e, posteriormente, as plântulas vão ser usadas em diversas atividades de educação ambiental e reflorestamento, em escolas e em várias zonas da região.

Queremos agradecer a todos os (as) voluntários (as) que participaram nesta atividade em prol da floresta autóctone. Só com o contributo de todos (as) conseguimos preservar de forma eficaz e sustentada a biodiversidade e os ecossistemas locais.

 Fruto da roseira brava.

Fruto da roseira brava.

 Abrunho.

Abrunho.

O que são as árvores autóctones e por que são tão importantes?

As árvores autóctones são árvores originárias do próprio território. Assim, a floresta autóctone portuguesa é toda a floresta formada por árvores originárias do nosso país. Carvalhos, medronheiros, castanheiros, azinheiras e sobreiros são exemplos de algumas árvores autóctones de Portugal.

 Bosque de carvalho-negral.

Bosque de carvalho-negral.

As florestas autóctones estão mais adaptadas às condições do solo e do clima do território, sendo mais resistentes a pragas, doenças, longos períodos de seca ou de chuva intensa, em comparação com espécies introduzidas.

São também importantes lugares de refúgio e reprodução para um grande número de espécies de animais autóctones que estão em risco de extinção; ajudam ainda a manter a fertilidade do solo e o equilíbrio ecológico.

As florestas autóctones são fundamentais para regular melhor o ciclo hidrológico e a qualidade da água e, apesar de registarem um crescimento mais lento, quando bem desenvolvidas, são normalmente mais resistentes aos incêndios florestais.

As florestas autóctones são, por isso, essenciais ao equilíbrio dos ecossistemas locais!

Plante árvores e arbustos autóctones, contribua para a preservação da biodiversidade!