“Teatro de lameiro” e jogo didático sensibilizam crianças para a conservação da águia-de-Bonelli e do britango

Um grupo de 54 alunos/as do 1.º, 2.º, 3.º e 4.º anos do 1.º Ciclo do Ensino Básico e cinco professores do Colégio da Nossa Senhora do Amparo, em Mirandela, participaram, no dia 6 de junho, em atividades de educação ambiental desenvolvidas pela Palombar - Associação de Conservação da Natureza e do Património Rural para promover a sensibilização das novas gerações para a importância e conservação da águia-de-Bonelli ou águia-perdigueira (Aquila fasciata) e do britango (Neophron percnopterus ).

Encenação da peça de teatro "O Diário Secreto da Águia-de-Bonelli".

Encenação da peça de teatro "O Diário Secreto da Águia-de-Bonelli".

As atividades consistiram na apresentação da peça de teatro "O Diário Secreto da Águia-de-Bonelli" e do jogo "A Vida Secreta da Família Bonelli", que foram dinamizados em pleno contacto com a natureza, num lameiro na aldeia de Uva, no concelho de Vimioso. 

Durante estas atividades, as crianças puderam apreender de forma lúdica, num contexto pedagógico e de partilha, como ocorre o processo reprodutivo e de sobrevivência da águia-de-Bonelli, bem como   reconhecer e compreender a importância da biodiversidade, ao mesmo tempo em que foram sensibilizadas para as ameaças que existem para esta espécie e para o ecossistema.

Os/as alunos/as também tiveram a oportunidade de visitar o Pombal Pedagógico da Palombar em Uva, onde aprenderam mais sobre a ecologia, funcionalidade e arquitetura dos Pombais Tradicionais do Nordeste Transmontano.

Visita ao Pombal Pedagógico da Palombar em Uva.

Visita ao Pombal Pedagógico da Palombar em Uva.

Estas ações de educação ambiental foram desenvolvidas no âmbito do Programa Educativo do consórcio SACR - Sensibilização Ativa das Comunidades Rurais desenvolvido pela Palombar e pela AEPGA – Associação para o Estudo e Proteção do Gado Asinino e do projeto LIFE Rupis de conservação da águia-de-Bonelli e do britango (Neophron percnopterus) no vale do Rio Douro. A AEPGA também dinamizou duas atividades para os/as alunos/as: a “Aula de Burro” e "Hoje sou veterinário".

Esta atividade teve como principais objetivos despertar e estimular para a consciência ecológica, através de atividades lúdico-pedagógicas de proximidade com o património natural e rural do Nordeste Transmontano; sensibilizar para a importância da ecologia dos Pombais Tradicionais; sensibilizar para a necessidade de proteger e conservar o Burro de Miranda e disseminar informação e conhecimento acerca do bem-estar animal e conservação de espécies ameaçadas.

Esta quinta-feira, 13 de junho, um novo grupo de crianças do Pré-escolar do Colégio da Nossa Senhora do Amparo irá participar nas mesmas atividades de educação ambiental.

Sobre a águia-de-Bonelli/águia-perdigueira

O nome águia-perdigueira deve-se ao facto desta ave de rapina ser uma exímia caçadora, capaz de capturar as suas presas em pleno voo, desde perdizes a pombos domésticos.

A espécie é monogâmica e ambos os adultos cuidam das crias (uma a duas por ninho). Habitualmente, o casal tem vários ninhos que vão ocupando alternadamente em diferentes anos.

Os adultos distinguem-se pelo corpo claro e asas escuras e pela singular mancha branca no dorso, enquanto os juvenis têm uma plumagem distinta dominada por tons ruivos.

Esta espécie está classificada como "Em Perigo" pelo Livro Vermelho dos Vertebrados de Portugal e, em 2011, foi estimada a existência de 116 a 123 casais reprodutores em Portugal.

O projeto LIFE Rupis, no qual a Palombar é parceira, tem como objetivo promover a conservação da águia-perdigueira no vale do Rio Douro.