Palombar

pesquisa

 

Scroll Down

NOVEMBRO PELA FLORESTA 2019

Recolha de sementes | Preparação do Viveiro | Sementeiras

A floresta autóctone, essencial à manutenção da biodiversidade, tem perdido espaço no território nacional nas últimas décadas, nomeadamente no Nordeste Transmontano. Para fazer face a esta tendência, a Palombar tem vindo a dedicar-se à sua recuperação, através de diversas ações, como a atividade Novembro pela Floresta, com o objetivo de garantir, desta forma, não só o desenvolvimento das árvores, mas também o equilíbrio de toda a vida que estas suportam.

As quercíneas são árvores ou arbustos do género Quercus, como o carvalho, a azinheira e o sobreiro, os quais integram a nossa floresta autóctone. Na Missão Quercíneas, vamos recolher sementes, preparar o viveiro e sementeiras de árvores e arbustos daquele género.

Vamos fazer crescer novamente a floresta autóctone?
Junte-se a nós nesta missão que é de todos/as!


Recomendações
Os participantes deverão trazer roupa e calçado adequado/confortável.

A atividade é gratuita, mas com inscrição obrigatória.

PROGRAMA

16 de novembro
9h00 - Ponto de Encontro café da aldeia de Uva
Recolha de sementes (Minas de Stº Adrião)
12h30 Almoço*
14h00 - Recolha de sementes (Caçarelhos)
16h30 - Fim de Atividade

17 de novembro
9h00 Ponto de encontro café da aldeia de Uva
Preparação do viveiro e sementeira (Uva)
12h30 Almoço*

*Almoço volante oferecido pela organização da atividade.

Nota
A Palombar reserva o direito de cancelar ou alterar o programa da atividade no caso das condições climáticas não serem propícias à sua realização ou de não haver um número mínimo de participantes inscritos.

 

O QUE SÃO AS ÁRVORES AUTÓCTONES E POR QUE SÃO TÃO IMPORTANTES?

As árvores autóctones são árvores originárias do próprio território. Assim, a floresta autóctone portuguesa é toda a floresta formada por árvores originárias do nosso país. Carvalhos, medronheiros, castanheiros, azinheiras e sobreiros são exemplos de algumas árvores autóctones de Portugal.

As florestas autóctones estão mais adaptadas às condições do solo e do clima do território, sendo mais resistentes a pragas, doenças, longos períodos de seca ou de chuva intensa, em comparação com espécies introduzidas.

São também importantes lugares de refúgio e reprodução para um grande número de espécies de animais autóctones que estão em risco de extinção; ajudam ainda a manter a fertilidade do solo e o equilíbrio biológico das paisagens.

As florestas autóctones são fundamentais para regular melhor o ciclo hidrológico e a qualidade da água e, apesar de registarem um crescimento mais lento, quando bem desenvolvidas, são normalmente mais resistentes aos incêndios florestais.

As florestas autóctones são, por isso, essenciais ao equilíbrio dos ecossistemas locais!